Eu tenho Mioma

Saiba tudo sobre o

tratamento com Embolização

EMBOLIZAÇÃO DE MIOMAS UTERINOS

O QUE É

Os miomas são nódulos uterinos benignos muito comuns – até 50-60% das

mulheres apresentam este problema

durante algum período da vida.

A maioria das pacientes não

apresenta sintomas relacionados

aos miomas, e nem necessita

de qualquer tipo de tratamento

 para esta condição.

  • TIPOS DE MIOMAS

    Em relação à sua localização no útero, os miomas podem ser classificados como:

    1. Mioma submucoso: são tumores que crescem logo abaixo do endométrio, a camada que recobre a parede interior do útero. O mioma submucoso se estende para dentro da cavidade uterina, podendo, quando grande, ocupar boa parte da mesma.

    2. Mioma subseroso: são tumores que crescem logo abaixo da serosa, a camada que recobre a parte externa no útero. Miomas subserosos dão ao útero uma aparência nodular.

    3. Mioma pediculado: são tumores subserosos que crescem e acabam se destacando do útero, ficando presos por um fino cordão, chamado de pedículo.

    O mioma pediculado pode crescer para dentro da cavidade uterina ou para fora do útero.

    4. Mioma intramural: são tumores que crescem dentro da parede muscular do útero. Quando grandes, podem distorcer a parede externa como os miomas subserosos e/ou a parede interna como os miomas submucosos.

  • SINTOMAS

    Até 30-40% das pacientes com miomas uterinos podem apresentar sintomas, sendo o mais frequente o sangramento uterino anormal, caracterizado por aumento do fluxo menstrual e / ou sangramento fora

    do período da menstruação, podendo inclusive causar anemia. Outros problemas eventualmente causados pelos miomas incluem sintomas compressivos sobre órgãos pélvicos como a bexiga e o intestino, dor pélvica crônica, redução da fertilidade, entre outros.

  • DIAGNÓSTICO

    Os miomas uterinos são diagnosticados através de avaliação pormenorizada do histórico médico e quadro clínico da paciente, do exame físico e avaliação de exames laboratoriais e de imagem, especialmente a Ultrassonografia e Ressonância Magnética.

EMBOLIZAÇÃO DE MIOMAS UTERINOS

COMO TRATAR

Existem diversas opções de tratamento para os miomas uterinos sintomáticos, desde o uso de medicações até a retirada cirúrgica dos miomas (miomectomia) ou de todo o útero (histerectomia).

 

A embolização de miomas uterinos é realizada em todo o mundo desde os anos 90, substituindo a retirada do útero em pacientes que desejam manter a possibilidade de gestação.

 

A escolha do melhor método de tratamento depende de uma avaliação completa
pela equipe médica (Ginecologista e Radiologista Intervencionista), e também leva em consideração os seus desejos e necessidades das pacientes.

  • EMBOLIZAÇÃO DE MIOMAS UTERINOS

    Descrita pela primeira vez para tratamento de miomas em 1995, a embolização rapidamente ganhou destaque como tipo de tratamento altamente eficaz, com tempo de internação hospitalar e recuperação mais curtos que os tratamentos cirúrgicos habituais, e com a vantagem da não necessidade de cortes ou da retirada do útero. Também não tem restrições quanto ao número e tamanho dos miomas a serem tratados.

    O tratamento é realizado através de técnicas de cateterismo, por uma punção com agulha de uma artéria da virilha (artéria femoral). O tratamento dura em média cerca de uma hora, não necessitando de anestesia geral. Após o cateterismo dos vasos sanguíneos do útero, pequenas partículas são injetadas ocluindo as artérias dos miomas, levando à resolução completa dos sintomas em cerca de 95% das mulheres. O tempo médio de internação hospitalar é de cerca de 1 dia.

     

    Quais os possíveis efeitos indesejados da embolização?

    As complicações relacionadas à embolização dos miomas uterinos são raras e, na maioria das vezes, de pouca gravidade. As mais comuns incluem eliminação de coágulos ou fragmentos de miomas e amenorréia (parada da menstruação), especialmente em pacientes maiores de 45 anos. Infecção dos miomas embolizados ou do útero foi descrita, podendo ser necessário tratamento com antibióticos venosos e, muito raramente, a retirada do útero (menos do que 1% dos casos).  Embolia pulmonar decorrente de trombose das veias das pernas pode ocorrer em menos de 1% das pacientes. Finalmente, a embolização dos miomas uterinos pode reduzir a fertilidade dificultando a ocorrência de gestações futuras.

     

  • MIOMECTOMIA

    A via histeroscópica (pelo interior da vagina) é muito utilizada para o tratamento dos miomas uterinos submucosos, porém pode ter efeito limitado em miomas localizados mais profundamente na parede do útero. O insucesso com a miomectomia histeroscópica ocorre em uma minoria das pacientes, podendo ser decorrente de ressecção incompleta dos miomas ou crescimento de novos nódulos no útero. A miomectomia pela via laparoscópica também pode ser realizada para miomas de localização subserosa ou intramural, sendo limitações a presença de grande mioma ou a presença de múltiplos miomas intramurais.

  • HISTERECTOMIA

    A histerectomia corresponde a retirada completa do útero, podendo ser realizada pelas vias transabdominal (aberta), transvaginal ou laparoscópica. Tem como principal desvantagem a impossibilidade de futuras gestações.

EMBOLIZAÇÃO DE MIOMAS UTERINOS

QUEM TRATA

Dr. André Moreira de Assis

CRM 134.076

• Médico Assistente do serviço de Radiologia Intervencionista Vascular do

   Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP

• Vice coordenador do programa de residência médica em Radiologia Intervencionista Vascular do HC-FMUSP

   Radiologista Intervencionista do Hospital Sírio-Libanês / SP

• Fellowship em Radiologia Intervencionista e Cirurgia Endovascular pela Universidad de Zaragoza, Espanha

• Membro titular da Sociedade Brasileira de Radiologia Intervencionista e Cirurgia Endovascular (SoBRICE) e do

   Colégio Brasileiro de Radiologia (CBR)
• Membro da Sociedade Europeia de Radiologia Intervencionista e Cirurgia Endovascular (CIRSE)

• Doutorado em Medicina pela Faculdade de Medicina da USP

EMBOLIZAÇÃO DE MIOMAS UTERINOS

Depois da Embolização de mioma uterino eu ainda preciso tirar meu útero para resolver o problema? É possível engravidar após a Embolização de mioma uterino?
Quanto tempo eu preciso ficar internada após a Embolização de mioma uterino? O que acontece com os miomas após a Embolização de mioma uterino? Para realizar o procedimento de Embolização de mioma uterino também é preciso abrir o abdome?

CONVÊNIOS

ATENDIDOS

Para maior comodidade dos nossos pacientes, a CRIEP trabalha com várias operadoras de saúde para a cobertura hospitalar dos procedimentos em nossos hospitais parceiros.

 

Digite no menu ao lado o seu convênio / plano e lembre-se que a autorização do convênio depende do plano e coberturas autorizadas para atendimento. A lista está sujeita à alterações sem aviso prévio.

 

Em caso de dúvidas entre em contato pelo telefone 11 3237-1616 ou pelo email recepcao@criep.com.br

CONSULTAS:

+55 11 3237 1616

carnevale radiologia intervencionista

CONTATO

BLOG

VÍDEOS

PROCEDIMENTOS

IMPRENSA

EQUIPE MÉDICA

QUEM SOMOS

INÍCIO


Contato pelo WhatsApp

SAIBA MAIS SOBRE EMBOLIZAÇÃO

Clique aqui

NÃO FIQUE COM DÚVIDA. ENTRE EM CONTATO

Whatsapp: (11)941621616

Telefone: (11) 3237 1616

LOCAIS DE ATENDIMENTO DE CONSULTAS

Rua Teodoro Sampaio, 352 - cj 11 Pinheiros - São Paulo
Rua Dona Adma Jafet, 91 - Bela Vista - São Paulo

 

Todos os direitos reservados - 2021

by  INOVATIVA MARKETING